Uncategorized

Lançamento!!! Restaurante de Sucesso – 50 Estratégias para lucrar mais

Postado em

Neste mais novo lançamento da GR Gestão de Restaurantes, O Curso “Restaurante de Sucesso. 50 Estratégias para lucras mais” aborda diversas estratégias utilizadas por restaurantes nas áreas de marketing, finanças, recursos humanos e energéticos que colaboram para torná-los empreendimentos bem sucedidos no mercado gastronômico.

A busca por um modelo de negócio que proporcione boa lucratividade é o sonho de todo empreendedor no mercado da gastronomia. Mas não é o modelo deste negócio que garantirá o seu sucesso, o que temos observado ao longo dos anos é que os restaurantes e  bares que possuem o foco nos pilares de uma boa administração têm obtido sucesso e estabilidade até mesmo em momentos de crise.

Seja no atendimento ao cliente, marketing, compras, recursos humanos ou no departamento financeiro; a atenção dispensada ao negócio deve ser constante e global, abrangendo todos os setores de um restaurante ou bar.

Descubra neste curso algumas estratégias que podem colaborar para o sucesso do seu empreendimento.

Este treinamento contém:

  •  Vídeo-aula com duração aproximada de 90min.
  •  Arquivos de apoio citados na video-aula
  •  Tenha toda a comodidade de assistir à vídeo-aula em seu computador ou DVD quantas vezes desejar e como ótima ferramenta para treinar a equipe do seu restaurante.

banner_restaurante_de_sucesso

A embalagem certa para seu delivery

Postado em

O serviço de tel03062016e-entrega de comidas é uma das modalidades que mais crescem no Brasil. Conhecido popularmente como delivery o serviço teve um salto de grandes proporções nos últimos anos com o surgimento de aplicativos via celular para pedir comida em casa. Seguindo esta tendência de crescimento muitos estabelecimentos estão investindo em embalagens diferenciadas para agradar ainda mais seus clientes.

Não importa qual o tipo de comida o seu estabelecimento trabalha, existem embalagens para todos os tipos de refeições, capazes de apresentar o produto ao cliente praticamente da mesma forma como é servido no restaurante, mantendo a apresentação, aroma e temperatura. Embalagens particionadas, que impedem que os alimentos se misturem, com materiais isolantes apropriados para manter o alimento aquecido e a salada fresquinha.

banner_marmitex

03062016APara hamburguerias e lanchonetes que servem sanduíches, há embalagens com design personalizado, em diversos tamanhos e formatos, até mesmo para sanduíches de 1 metro de comprimento.

Nem a comida japonesa fica de fora. Embalagens com películas transparentes tornam a apresentação do produto ainda mais agradável com formatos especiais até mesmo para temakis.

03062016B

As sobremesas também não podem ficar de fora. Embalagens exclusivas pa03062016Cra bolos, tortas, inclusive para churros são essenciais para o lanche da tarde.

E como as bebidas não podem ficar de fora, embalagens estilizadas em formato de sacolas trazem sofisticação e bom gosto com designs inovadores.

03062016D
A inovação nas embalagens para delivery trouxe diversos benefícios para quem trabalha com a modalidade de entrega. A apresentação diferenciada agrega mais valor ao produto e a personalização das embalagens com designs e cores exclusivos colaboram para o fortalecimento da marca dos restaurantes, bares e lanchonetes.

Fonte: http://www.gestaoderestaurantes.com.br

banner_marmitex

Restaurante investe em produtos de marca própria para faturar R$ 20 milhões

Postado em

Exemplo que inovação e senso de oportunidade são princípios indissociáveis no mundo dos negócios acontece no Rio de Janeiro, onde o dono de uma rede de restaurantes começa a ganhar relevância com sua linha de produtos gourmet de marca própria, toda ela comercializada em empórios e supermercados sofisticados pelo Brasil.

23052016

Andre Paraizo é sócio do Restaurante Bazzar, com quatro unidades na Zona Sul do Rio. Ao notar que os clientes procuravam pelos molhos e coberturas servidas pelo estabelecimento para levarem para casa, tratou de suprir essa demanda em escala industrial. Investiu R$ 4 milhões na adaptação da cozinha da rede – que já nutria as quatro unidaeds em operação – garantiu a distribuição dos produtos no supermercado de um cliente fiel e, hoje, tem na iniciativa quase 20% da receita anual do Bazzar, que chegou perto de R$ 20 milhões em 2011.

“A gente sempre pensou em uma marca que pudesse trazer novos negócios. Assim concebemos o Bazzar. Hoje em dia, acreditamos que a operação de marcas própria tem potencial para, em pouco tempo, se tornar o nosso principal negócio”, afirma Paraizo, que abriu seu primeiro restaurante em Ipanema no ano de 1998.

Com 19 produtos, a linha Bazzar tem desde molhos a coberturas, fondue de chocolate e cafés. Recentemente, a empresa introduziu um portfólio de sobremesas prontas à linha. Até o final, estão previstas uma linha de sopas em vidro e de iogurtes.

“A gente já está presente em 320 pontos de venda no Brasil, com destaques para o Supermercado Zona Sul, no Rio, Pão de Açúcar e Casa Santa Luzia, em São Paulo”, destaca o empreendedor, que espera faturar com o negócio de marcas próprias R$ 4 milhões até o final do ano. “Nossa expectativa é continuar crescendo cerca de 30% ao ano até 2015”, afirma.

Fonte: http://pme.estadao.com.br/noticias/noticias,restaurante-investe-em-produtos-de-marca-propria-para-faturar-r-20-milhoes,2125,0.htm

planejamento_cardapios

Restaurante inova com implantação de spaço kids com tecnologia Ludopedagógica

Postado em

A paixão pelo churrasco, já considerado um símbolo da gastronomia brasileira, faz a iguaria não só conquistar fãs pelo mundo, mas também impulsiona o surgimento de novos estabelecimentos comerciais dedicados ao prato. Neste contexto competitivo, a atenção aos detalhes é fundamental para garantir espaço no mercado. O Gran Steak, que compõe uma rede no segmento de churrascarias com mais dois restaurantes em Ribeirão Preto (SP), aposta no espaço kids como um diferencial e encontrou na PlayTable, a primeira mesa digital com jogos educativos do Brasil, uma forma de oferecer aos filhos dos clientes um momento de recreação e aprendizado.

19052016

Fundada há mais de 20 anos, a rede de churrascarias chega a atender 6 mil amantes da carne por semana. Apenas no Gran Steak, são cerca de 750. Segundo o sócio-proprietário, Luiz Cutti Junior, o desafio para manter a clientela está em oferecer um diferencial ao público, sem onerá-lo. “No Gran Steak, resolvemos inovar e formar um espaço kids apenas com equipamentos educativos, que contribuam para o desenvolvimento cognitivos das crianças, como a mesa digital, os recursos do método Montessori, teatro de bonecos, entre outros”, conta. Com 90 metros quadrados, o espaço recebe cerca de 50 crianças por semana, entr

e elas Laura, de 6 anos, e Clara, de 2, filhas de Flavia Castilho Mascani.

Para a designer gráfica, o espaço kids é um fator de peso quando a família precisar fazer uma refeição fora de casa, o que ocorre, geralmente, quatro vezes por mês. Além da agilidade no atendimento  e a disponibilidade de estacionamento, no momento da decisão, a mãe também busca um local que ofereça um espaço seguro e com a presença de monitores para deixar seus filhos, enquanto se alimenta. “Depois das refeições, as crianças ficam pouco tempo sentadas à mesa. Contar com um espaço de recreação que de fato entretenha as crianças significa poder aproveitar um pouco mais o momento de descontração. Ou seja, satisfaz tanto às necessidades dos adultos, como as das crianças”, revela.

Uso coletivo

Para o proprietário da rede de churrascarias, o investimento na construção de um espaço kids tem retorno, pois “a quantidade de pais que reservam mesas próximas ao espaço kids supera a quantidade de mesas ‘perdidas’, com o ambiente”. Com a implantação da PlayTable, em dezembro de 2015, a expectativa do empresário é que mais crianças visitem o espaço e passem ainda mais tempo por lá. “No início, utilizávamos a mesa no formato tradicional, atualmente, ela está fixada à parede, logo na entrada, e as crianças chegam a fazer revezamento para utilizar a tecnologia. Felizmente, um dos principais recursos da PlayTable é a possibilidade de uso coletivo”, observa.

Para o diretor comercial da Playmove, Jean Gonçalves, um dos principais diferenciais da mesa digital é que além dos momentos de diversão, as crianças têm acesso a conteúdos educativos. “A PlayTable e os aplicativos são desenvolvidos com base na ludopedagogia, onde a diversão e o aprendizado andam juntos. Por usar uma linguagem universal, que é a brincadeira, a PlayTable é acessível também a crianças com deficiência. Os conteúdos são cuidadosamente selecionados por uma equipe multidisciplinar de especialistas em diversas áreas do conhecimento”, salienta. Segundo o diretor, o equipamento é caracterizado pelo design moderno, resistência, facilidade na limpeza e instalação, além do suporte remoto.

Sobre a Playmove

Empresa de Blumenau (SC), fundada em 2013, focada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para educação infantil e ensino fundamental. Criadora e desenvolvedora da PlayTable, a primeira mesa digital com jogos educativos do Brasil, utilizada em escolas públicas e privadas no país. A PlayTable é uma mesa interativa e multidisciplinar, com jogos e aplicativos para crianças a partir de 3 anos de idade, voltada ao desenvolvimento das habilidades cognitivas e motoras dos pequenos. A tecnologia touch screen se caracteriza pela fácil usabilidade, inclusive, por ser acessível a crianças com deficiência.

banner_como_montar_restaurante

Formação de Preço de Venda para Restaurantes e Bares

Postado em

Bem vindo ao treinamento sobre “Formação do preço de vendas para restaurantes e bares”. Muitos empresários ou futuros empreendedores apresentam certa dificuldade quando necessitam definir o preço de venda de seus produtos e serviços. Esta dificuldade está associada principalmente à falta de conhecimento das técnicas que devem ser utilizadas para precificar o produto. A consequência disto são produtos que não apresentam o preço de venda ideal para cobrir os custos diretos e indiretos do empreendimento e muito menos proporcionar uma boa margem de lucro. Em muitos casos podemos detectar até prejuízos. Podemos dizer que é com ter um cano de água vazando onde não podemos ver.

Neste treinamento vamos abordar as técnicas mais utilizadas e os fatores que podem influenciar na formação do preço de venda dos produtos do cardápio, tanto para restaurantes alla carte como para restaurantes self-service. Vamos compreender qual a relação entre o preço, o mercado consumidor e concorrência para encontrarmos um denominador comum ao precificarmos o nosso produto. Com exemplos práticos e uma metodologia de fácil entendimento no final deste treinamento você estará apto para precificar seus produtos com segurança

Este treinamento contém:
Vídeo-aula com duração aproximada de 35min.
Arquivos de apoio como pesquisa de mercado, avaliação de produto e calculo de buffet self-service.
Planilhas totalmente automatizadas, Os cálculos da planilha são realizados automaticamente
Tenha toda a comodidade de assistir à vídeo-aula em seu computador ou DVD quantas vezes desejar e como ótima ferramenta para treinar a equipe do seu restaurante.

Assista alguns trechos desta vídeo aula abaixo:

banner_formacao_preco

Sistema de Exaustão para Cozinhas Industriais

Postado em

<p style=”text-align: justify;”> O <strong>Sistema de Exaustão para Cozinhas Industriais</strong> consiste em retirar do ambiente os vapores e gases decorrentes dos processos de cozimento e frituras dos alimentos, deixando o ambiente da cozinha livre de odores e fumaça, assim como, manter a temperatura interna em níveis desejáveis de conforto.</p>

10052016A

O Sistema de Exaustão para Cozinhas Industriais consiste em captar, tratar, conduzir os vapores e gases para fora do ambiente da cozinha, além de um sistema de insuflamento de ar externo para repor o ar exaurido pelo Sistema de Exaustão.

O Sistema de Exaustão e Ventilação são compostos pelos seguintes equipamentos:

O início do sistema é composto pelo CAPTOR ou Coifa, que fica instalado acima e abrangendo toda a área dos equipamentos de fritura e cozimento dos alimentos.

CAPTOR

10052016B

As Coifas mais utilizadas hoje em dia são:

Coifa central ou de Ilha, utilizada em áreas onde os equipamentos para preparo dos alimentos ficam localizado no centro da cozinha industrial;

Coifa de Parede, utilizada em áreas onde os equipamentos para preparo dos alimentos ficam encostados nas paredes da cozinha industrial;

Coifa aspiração frontal, bastante utilizada para equipamentos que geram muita gordura, como chapas, fritadeiras e chairbroilers;

Coifa Wash-Pull, a qual possui sistema de lavagem dos gases incorporados a ela;

Coifa Push-Pull, possui sistema de insuflamento de ar incorporado a ela formando uma cortina de ar em suas extremidades.

banners_cozinha_industrial.gif

As Coifas podem ser construídas em Aço Inoxidável ou Chapa Galvanizada com o mínimo de 0,94mm de espessura. As Coifas podem conter ou não acessórios como: Filtros metálicos removíveis  para retenção de gordura, calhas periféricas com drenos para retenção e limpeza dos óleos e condensados acumulados em seu interior e luminárias.

Os Dutos são utilizados para conduzir os gases e vapores, e podem ser confeccionados em chapas de aço carbono, aço inoxidável 430 e 304 ou aço galvanizado.

REDE DE DUTOS

10052016C

Podemos ter 2 tipos de Dampers nos Sistemas de Exaustão para Cozinhas Industriais, sendo um deles, o Damper de Regulagem, utilizado para ajuste da vazão dos gases.

DAMPER

10052016D

O Damper Corta Fogo é utilizado como prevenção contra incêndios no sistema.

O Exaustor é utilizado para movimentação do ar, puxando os gases e vapores para fora do ambiente.

EXAUSTOR

10052016E

O Exaustor pode ser de 2 tipos:

Exaustor Centrífugo: Esse exaustor tipo caracol, utiliza um rotor de pás curvadas para trás ou radial (para não armazenar gordura), acoplado a um motor elétrico através de polias e correias, contendo porta de inspeção e dreno para limpeza. É indicado para sistemas de exaustão de cozinhas, e contem as seguintes vantagens:

– Pode ser montado de acordo com a necessidade do projeto quanto à vazão e pressão estática necessária;

– Possui nível de ruído baixo;

– Fácil manutenção;

– Vida útil longa se realizadas manutenções preventivas.

– Utilizado somente em sistemas muito simples, onde a perda de carga do projeto não ultrapasse 20 mmca, devido a não ter pressão suficiente para fazer o ar vencer todos os obstáculos no percurso;Exaustor Axial: De carcaça tubular, utiliza uma hélice acoplada a um motor elétrico, podendo ser de acionamento direto com hélice e motor instalados em seu interior, ou acionamento indireto através de polias e correias com motor instalado fora do equipamento. Por ter um custo acessível, é bastante utilizado, mas com restrições:

– Nível de ruído muito alto;

– Difícil manutenção;

– Indicado para instalações em paredes ou telhados para promover renovações de ar dos ambientes;

– Não é indicado para sistemas de exaustão de gordura.

CAIXA DE VENTILAÇÃO

10052016F

A Caixa de Ventilação é utilizada para insuflamento de ar nas cozinhas. Possui gabinete metálico com filtros na captação de ar. O ar é ventilado através de um exaustor centrífugo de dupla aspiração com rotor tipo Siroco.

TRATAMENTO DO AR

Podemos adicionar alguns equipamentos para tratar os vapores de gordura e fuligens antes da sua dispersão no ambiente externo da Cozinha Industrial.

EXTRATORES DE GORDURA

Os Extratores de Gordura são utilizados para retenção e tratamento dos vapores de gordura e fuligens antes da dispersão na atmosfera.

Os mais utilizados são:

Lavadores: Através de processo de condensação, eles fazem o encharcamento, absorção ou neutralização dos poluentes em solução aquosa.

Precipitador eletrostático: Pelo processo de ionização com alta tensão elétrica do fluxo de exaustão, fazem a coleta de partículas em placas com polaridade oposta ao da assumida pelas partículas.

Filtro de Carvão Ativado: Esses filtros reduzem os odores, podendo ser utilizados nas saídas dos equipamentos de tratamento do ar. Sua eficiência pode se comprometida caso sejam utilizados em equipamentos onde possa ocorrer encharcamento a base de água como lavadores.

O tamanho e a capacidade deve ser de acordo com a vazão para não comprometer o Sistema de Exaustão.

TERMINAIS DE DESCARGA

Esses terminais tem o objetivo de proteger o Sistema de Exaustão contra entrada de água, captando e dissipando os gases e vapores.

GRELHAS e VENEZIANAS

As Grelhas e Venezianas são utilizadas para insuflamento, exaustão e descarga de ar nos sistemas de exaustão e ventilação.

Fonte: http://www.exaustoresventisilva.com.br/sistema-de-exaustao-para-cozinhas-industriais/

banners_cozinha_industrial.gif

DESMISTIFICANDO AS CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

Postado em

<p style=”text-align: justify;”>A <strong>(NR24) Norma Regulamentadora 24</strong>  trata do conforto e higiene nos locais de trabalho e das instalações. Conheça melhor esta Norma.<img class=”aligncenter wp-image-5335 size-full” src=”http://gestaoderestaurantes.com.br/blog/wp-content/uploads/2016/05/10052016.jpg&#8221; alt=”10052016″ width=”792″ height=”300″ /></p>

Higiene e conforto nas refeições

Empresas urbanas, ruraisou órgãos governamentais cujo contrato de trabalho obedece à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) devem oferecer a seus empregados e servidores conforto e higiene para realizarem suas refeições no intervalo do trabalho.Se o trabalhador levar sua refeição, a empresa deve garantir condições de conservação, higiene e meios para aquecê-la.Nos locais de trabalho deve existir 1/4 de litro água potável por hora/homem, o bebedouro deve ser 1 para cada 50 trabalhadores.O local de armazenamento de água não-potável deve conter aviso sobre a impotabilidade.

Sanitários

Devem ter 1m² cada, separados por sexo, estarem higienizados e sem odores, e manter as seguintes normas:

  1. Sanitários masculinos: mictório de porcelana ou equivalente, com descarga manual ou automática;
  2. Piso: impermeável, lavável, acabamento liso, inclinado para os ralos de escoamento;
  3. Paredes: construídas com tijolos, revestidas por material lavável e impermeável;
  4. Cobertura: telhas de barro ou fibrocimento apoiadas em estrutura metálica ou de madeira;
  5. Janelas: caixilhos fixos, a parte inferior deve ter 1,50m de altura a partir do piso;
  6. Vidros: incolores e translúcidos, correspondentes a 1/8 da área do piso;
  7. Vasos sanitários: instalados em compartimentos individuais e ventilados;
  8. Lavatórios: de calhas impermeáveis e laváveis, torneira de metal, uma para cada 20 trabalhadores. Deve haver material individual para limpeza e secagem das mãos. Nas atividades insalubres,   em exposição a substâncias tóxicas, sujeira etc, as instalações devem contar com um lavatório e um chuveiro para cada 10 colaboradores;
  9. Banheiros: chuveiros providos de água quente e portas.

O esgoto não pode ter ligação com o trabalho, tampouco com os locais destinados às refeições.Nas indústrias alimentícias, os vasos sanitários devem permanecer isolados para não contaminarem os locais de trabalho.Estabelecimentos bancários, escritórios etc, de acordo com a autoridade competente, podem não ter mictórios e chuveiros, ou tê-los em quantidade reduzida.

Vestiários

Em estabelecimentos industriais ou que exijam troca de roupas, são imprescindíveis vestiários separados por sexo, 1,50m² para cada trabalhador, considerando:

  1. Paredes: de alvenaria, revestidas de material impermeável e lavável;
  2. Piso: impermeável, lavável e de acabamento liso;
  3. Cobertura: de estrutura metálica ou madeira, com telhas translúcidas;
  4. Janelas: têm caixilhos fixos, com vidros incolores e translúcidos, cujo total corresponda a 1/8 da área do piso;
  5. Iluminação: lâmpadas incandescentes de 100 W/8m² de área com pé-direito de 3m;
  6. Armários: individuais, pintados com tintas laváveis, ou revestidos de fórmica.

Refeitórios

Empresas com mais de 300 funcionários devem dispor de refeitório, de 1m² por usuário, abrigando 1/3 do total de empregados por turno. A circulação principal deve ter largura de 75cm, entre bancos e paredes 55cm de largura. Também deve existir:

  1. Iluminação: lâmpadas incandescentes de 150 W/6m² de área com pé direito de 3m;
  2. Piso: impermeável e lavável, revestido de cerâmica ou outro material lavável;
  3. Paredes: revestimento liso, resistente e impermeável, até a altura de 1,50m;
  4. Mesas e assentos: suficientes ao número de usuários;
  5. Aquecimento do alimentos: estufa, fogão ou similar;
  6. Limpeza, arejamento e boa iluminação são imprescindíveis.

Se a quantidade de trabalhadores for inferior a 30, as condições de conforto devem ser mantidas, segundo as normas de autoridade competente em Segurança e Medicina do Trabalho (SMT).

banners_cozinha_industrial.gif

Os estabelecimentos dispensados das exigências desta NR24 são:

  1. Comerciais, bancários e afins que interrompam suas atividades por 2 horas;
  2. Indústrias localizadas em cidades do interior, que mantenham vila operária, ou se for permitido realizar a alimentação em suas residências;
  3. 30 ou menos trabalhadores, a critério da autoridade de SMT poderão ser permitidas as refeições nos locais de trabalho, interrompendo as atividades laborais.

Cozinha

Deve estar próxima aos refeitórios e ligada a eles por meio de aberturas por onde servem-se as refeições. A estrutura deve ter:

  1. Paredes: de alvenaria de tijolo comum, em concreto ou madeira, com revestimento de material liso, resistente, impermeável e lavável em toda sua extensão;
  2. Piso: semelhante ao do refeitório;
  3. Portas: metálicas ou de madeira de 1m por 2,10m;
  4. Janelas: de madeira ou ferro, pintadas a tinta a óleo, se forem de ferro; com tinta especial que retarde a ação do fogo, se forem de madeira;
  5. Ventilação: aberturas suficientes para aeração, protegidas por telas;
  6. Lâmpadas: incandescentes de 150 W/4m² com pé direito de 3m.

É indispensável que os funcionários da cozinha disponham de sanitário e vestiário próprios.

Alojamento

Cada dormitório deve abrigar até 100 operários. As áreas são dimensionadas de acordo com as camas (apenas duas na mesma vertical) e armários. Devem ter:

  1. Um pavimento ou dois, no máximo;
  2. Área de circulação interna de 1m. Pé direito com dimensões de 2,6m para camas simples e 3m para duplas;
  3. Paredes: alvenaria, concreto ou madeira;
  4. Piso: impermeável, lavável, de acabamento áspero;
  5. Cobertura: estrutura metálica ou de madeira, as telhas podem ser de barro ou fibrocimento;
  6. Portas: metálicas ou de madeira, abertura para fora, medindo 1m x 2,10m a cada 100 operários;
  7. Janelas: madeira ou ferro de 60cm x 60cm;
  8. Iluminação: lâmpadas incandescentes de 100W/8m² de área com pé direito de 3m:
  9. Fiação: protegida por eletrodutos;
  10. Pintura: paredes, portas, janelas e móveis pintados com tinta de base plástica, se forem de alvenaria; de ferro: tinta a óleo; de madeira: tinta especial retardante à ação do fogo;
  11. Camas: metálicas ou de madeira;
  12. Armários: uso individual, de aço ou madeira, 60cm de frente x 45cm de fundo x 90cm de altura.
  13. Corredores de alojamentos com mais de 10 metros de comprimento: vãos para o exterior com área não inferior a 1/8 do respectivo piso.

Neste post foram apresentadas as principais partes da (NR24) Norma Regulamentadora 24, esperamos que ele possa ter ajudado você!

Fonte:http://zanel.com.br/blog/nr24-desmistificando-as-condicoes-sanitarias-e-de-conforto-nos-locais-de-trabalho/

 

banners_cozinha_industrial.gif