cardápio

Como calcular a produção de comida do restaurante

Postado em

A primeira etapa do processo de produção em um restaurante acontece antes mesmo do acender das chamas e principalmente com vários dias de antecedência. A principal metodologia utilizada para dimensionar a produção de uma cozinha é baseada na per capita. A per capita nada mais é do que a quantidade de alimento consumido por pessoa em uma refeição.

Muitas pessoas buscam tabelas padronizadas sobre a “per capita” de restaurantes acreditando que esta talvez seja a solução para ajudar a calcular a sua produção mas este é um erro infactível e deve ser evitado. Cada restaurante possui a sua própria “per capita”; isto ocorre porque há diversos fatores que podem influenciar para que o consumo de determinados tipos de alimentos sejam maiores ou menores de acordo com a faixa etária do público, com o sexo, com o nicho social e com a região em que o restaurante se encontra.

Mas se você pretende aprender um pouco mais sobre como calcular a produção de uma cozinha comercial e industrial e como utilizar a “per capita” a seu favor a GR possui todas estas informações reunidas de forma bem didática e objetiva em seu manual de “Planejamento de Cardápio para Restaurantes”. Um manual que aborda todo o processo de planejamento, produção, marketing e engenharia do cardápio de um restaurante ou bar.

O manual de “Planejamento de Cardápio para Restaurantes” está disponível neste link para todos os clientes que adquiriram a ferramenta através de nossa loja virtual. Caso você ainda não possua, o produto pode ser adquirido neste link.

Quem é assinante premium já pode baixar o produto sem custos adicionais neste link. Se você quer se tornar um assinante premium e desfrutar de todo o nosso conteúdo basta clicar aqui para contratar, mas se prefere conhecer todo o conteúdo disponível para assinantes veja nosso catálogo aqui

 

Anúncios

Cardápios prontos para restaurantes self-service

Postado em

c

Planejar o cardápio de um restaurante self-service não é tarefa fácil, afinal não basta juntar algumas receitas e expor no buffet para o cliente. A combinação perfeita é que tornará o seu buffet mais convidativo e principalmente atendendo a todo o tipo de público. Além disso deve haver a preocupação com a harmonia do buffet, oferecendo opções variadas de carboidratos, proteínas, fibras e também uma boa oferta de diferentes modos de preparo entre assados, frituras, cozidos, grelhados e saladas. O cardápio para Restaurante Self-service desenvolvido pela GR vem com o objetivo de facilitar a vida dos restaurantes quando o assunto é planejar o cardápio. Desenvolvidos em 2 volumes que somados contam com mais de 1200 receitas, este produto já traz receitas para mais de 60 dias com variações entre todos os dias, trazendo diversidade e inovação para o seu buffet. Conheça mais detalhes sobre o volume 01 ou o volume 02 de nossos cardápios planejados para restaurantes self-service e aproveite nossa promoção por tempo limitado adquirindo o volume 1 e 2 com um desconto de 20%. Clicando aqui.

Quem é assinante premium já pode baixar o produto sem custos adicionais neste link. Se você quer se tornar um assinante premium e desfrutar de todo o nosso conteúdo basta clicar aqui para contratar, mas se prefere conhecer todo o conteúdo disponível para assinantes veja nosso catálogo aqui

 

Planejamento de Cardápio para Restaurantes

Postado em

O cardápio é um dos principais responsáveis pelo sucesso de vendas de um restaurante. Seu planejamento exige técnicas e habilidades tanto na criação dos pratos quanto na apresentação do menu. Por trás de um bom cardápio há muitas metodologias implementadas, sejam elas de organização, montagem, marketing, vendas e engenharia do cardápio. O objetivo principal é despertar e aguçar o desejo dos clientes potencializando o poder de venda do cardápio. Neste Guia abordaremos os principais conceitos e técnicas para a criação de um cardápio vencedor tanto para restaurantes alla carte, restaurantes self-service e bares.

O E-book Planejamento de Cardápios auxilia na criação de cardápios para restaurantes. Pode ser utilizado tanto para novos empreendimentos quanto para restaurantes já em funcionamento que necessitam renovar seu cardápio. O manual aborda informações como a criação dos conceitos iniciais para elaboração de um bom cardápio, os tipos de cardápios, estratégias de marketing para a montagem do cardápio, layout do cardápio e uma ferramenta que auxilia a analisar a eficiencia do cardápio nas vendas do restaurante chamada Engenharia de Cardápio. Acompanha este E-book ferramentas para   Engenharia de Cardápio com geração automática dos resultados sem a necessidade de aplicar as fórmulas manualmente. O sistema de engenharia de cardápio auxilia o empreendedor a identificar quais são os pratos mais lucrativos e os pratos que geram pouco lucro e muito trabalho.

Conteúdo do Ebook

  • Principais conceitos para elaboração do cardápio
  • Análise do Público Alvo
  • Estudo da Viabilidade para o cardápio
  • Composição do cardápio
  • Rotatividade do cardápio
  • Dimensionamento da Produção
  • Per Capita
  • Cálculo da produção
  • Reaproveitamento da produção
  • O Layout do cardápio
  • Formato do cardápio
  • Características do layout do cardápio
  • Engenharia do Cardápio
  • Método de Análise do Cardápio
  • Exemplificação do Método de Análise do Cardápio
  • Planilha de Engenharia do Cardápio

cardápio para restaurante

Fonte:http://www,gestaoderestaurantes.com.br

6 dicas para otimizar a comunicação visual de seu restaurante

Postado em

Além de ter um belo cardápio e um excelente atendimento, você já pensou em cuidar de perto da comunicação visual de seu restaurante? E com uma clientela cada vez mais conectada e em busca não apenas de pratos de qualidade, mas também de experiências agradáveis, cuidar desse ponto não é apenas uma escolha, é uma questão de sobrevivência em um mercado extremamente competitivo.

curso restaurante

Mas, então, como fazer para melhorar a comunicação visual de seu restaurante? Como fazer para deixá-lo mais atrativo para o público-alvo? É bastante simples: confie nessas dicas que vamos mostrar aqui no post. Quer saber quais são? Vamos lá!

Use placas para passar informações importantes aos clientes

Independentemente do tamanho do seu restaurante, é importante não deixar o cliente perdido ali dentro para que ele não tenha que perguntar a um garçom algumas informações básicas e não desista de comer naquele lugar.

Use adesivos ou placas para informar onde ficam os banheiros e sobre a existência de rede Wi-Fi. Inclusive, informe através deles a senha da internet para os seus clientes — lembre-se de que hoje em dia a maioria das pessoas dá uma olhada nas redes sociais e e-mails enquanto aguarda seus pratos. Indique corretamente onde ficam os banheiros e não se esqueça de informar logo na entrada quais são os tipos de pagamento, as bandeiras de cartões de crédito e de vale-refeição que são aceitos no estabelecimento.

Tenha em mente que tudo isso faz parte da experiência do cliente em seu restaurante e uma simples dificuldade em saber alguma informação pode estragar tudo.

Preocupe-se com a acessibilidade

Muitos donos se esquecem de pensar em quem tem necessidades especiais, como pessoas com deficiência, idosos, gestantes e obesos. E isso é algo que pode ser facilmente planejado ou corrigido através da comunicação visual de seu restaurante.

Indique com adesivos quais são as mesas preparadas para esse tipo de cliente e informe se existe ou não um banheiro projetado para atendê-los. Tenha em mente que esses clientes são extremamente importantes e que, como a maioria dos estabelecimentos acaba por deixá-los de lado, aquele que faz um belo trabalho acaba conquistando a clientela.

Customize os seus acessórios

Mesmo que o cliente já tenha feito o pedido e esteja satisfeito com o seu restaurante, provavelmente você quer que ele volte mais vezes, certo? E que forma é melhor para fazer isso do que com um bom trabalho de branding?

Termo conhecido do mundo do marketing, o branding é um mix de comunicação que ajuda o cliente a estabelecer uma relação afetiva com a sua marca através do reconhecimento de seus padrões. É algo bastante efetivo em trazer lucros para os negócios. Mas como fazer isso em um restaurante? O uso de acessórios personalizados, como jogos americanos e bolachas de chopp é uma das maneiras.

Como é bastante importante manter o contato do cliente com a sua marca, nada melhor do que colocá-la em pontos estratégicos como esses onde ele pode reconhecê-la de maneira bastante orgânica e natural

Deixe bem à vista qual é o cardápio principal do dia

Cavaletes, quadros escritos com giz de cera, jogo americano personalizado, totens com formato de um chef de cozinha, etc. O que não faltam são opções para avisar aos clientes de antemão qual é o seu prato principal do dia. E como podemos ver até em boards do Pinterest, existem diversas maneiras muito criativas de se fazer isso, seja com um estilo mais antigo, uma mistura de madeira e adesivos e até cartazes colados diretamente na parede.

Quando você avisa facilmente para o cliente qual é o prato do dia, você agiliza o pedido dele, melhora a experiência com a marca e ainda atrai novos clientes para o seu restaurante.

Mostre a personalidade do seu serviço através da decoração

Outra maneira muito importante de trabalhar o branding da sua empresa e criar uma boa experiência para os seus clientes é por meio da decoração.

Responsável não apenas por deixar um restaurante bonito, a decoração deve ser pensada para trazer tranquilidade para a pessoa enquanto ela está comendo e ainda passar a mensagem da sua empresa. Por isso, o uso de adesivos para decorar ou modificar paredes e janelas pode ser uma saída interessante — e até barata — para o seu restaurante.

E assim como mostramos no tópico anterior, o Pinterest pode ser uma interessante rede social para trazer ideias de como usar adesivos para esse tipo de decoração, como esse, onde os donos do restaurante usaram o material para informar as bebidas da casa e esse outro, onde simularam uma arte feita com giz em uma parede pintada de preto.

Em todos esses casos, a decoração, além de combinar e deixar o ambiente mais atrativo, também informa os clientes e ajuda a manter a identidade da marca sempre presente no lugar. E isso é extremamente importante.

Avise aos clientes sobre as promoções da casa

Se o seu restaurante tem promoções especiais para alguns horários ou dias da semana, é importante avisar ao seu cliente sobre isso. E existem boas formas de fazer isso através da comunicação visual.

Coloque cavaletes diferentes na porta avisando quem passa por ali sobre essas promoções, coloque banners promocionais do lado de dentro do restaurante avisando algum desconto e use até mesmo pequenos cubos em cada mesa para informar sobre um happy hour promocional ou outro tipo de desconto.

Lembre-se de que promoções são uma ótima maneira de atrair ainda mais clientes, mas que, antes de qualquer coisa, é bastante importante que eles saibam quando é que elas acontecem.

Capaz de melhorar as vendas, o atendimento e, principalmente, a experiência do cliente com a sua marca, a comunicação visual de seu restaurante é uma ferramenta muito importante para você atingir esse objetivo.

Fonte: https://www.petink.com.br/comunicacao-visual-de-seu-restaurante/

curso restaurante

Quais os treinamentos fundamentais dos colaboradores em restaurante?

Postado em

Os restaurantes das empresas representam grandes dificuldades quando o assunto é relações corporativas. Sabemos que os colaboradores em restaurantes devem estar sempre capacitados para proporcionar um serviço de qualidade. Sabemos também que, pela norma regulamentadora nº 24 do Ministério do Trabalho e Emprego (NR24), negócios com mais de 300 funcionários estão obrigados a oferecer esse serviço de restaurante na empresa.

curso restaurante

Por isso, na dúvida, muitas empresas optam por contratar esse tipo de serviço com profissionais qualificados para realizar o treinamento. Mas ainda assim, na hora de escolher um novo ou avaliar a gestão atual, é preciso verificar se o fornecedor está atento aos treinamentos fundamentais para garantir a qualidade do serviço prestado.

É sobre isso que falaremos a seguir.

Relacionamento com o cliente

Um dos tópicos a serem levados em consideração no treinamento dos colaboradores é a qualidade da relação com o cliente.

A capacitação deve estimular uma relação de respeito e empatia, com doses de bom humor, paciência, atenção e transparência. Não basta apenas olhar nos olhos do cliente, mas também ter empatia e compreender o ponto de vista dele.

Padronização do atendimento

Os treinamentos devem estar relacionados à qualidade dos produtos, por isso devem concentrar esforços na uniformização dos serviços, incluindo não apenas o atendimento ao cliente, mas também fichas técnicas padrões e manipulação de alimentos.

Essa atenção deve perpassar também as formas de abordagem, a postura, os uniformes, a montagem dos cardápios etc., sempre prezando pela segurança, higiene e satisfação do cliente.

Responsabilidades dos colaboradores em restaurantes

Além disso, os colaboradores devem estar preparados para agir de maneira adequada em diferentes situações.

Nesse sentido, por mais que os treinamentos para gerentes e responsáveis trabalhem a gestão de crises, todos os funcionários devem estar preparados para assumir responsabilidades e resolver problemas.

Também vale lembrar que toda a dinâmica de treinamentos deve explorar todos esses pontos de maneira conjunta, para que os colaboradores compreendam todas as dinâmicas dos processos de atendimento, de ponta a ponta.

Um toque a mais na qualidade

Em muitos casos, podemos aproveitar também o conhecimento de funcionários veteranos para estimular os mais jovens e aproveitar a experiência adquirida.

Focar nos anseios e expectativas dos colaboradores é uma das premissas para uma gestão de pessoas com resultados para a empresa, por isso vale investir na qualificação dos funcionários.

Cursos e desenvolvimento de habilidades específicas para cada função, como noções de sistema, atendimento, manuseio e segurança são alguns desses pontos.

Mas para que façam efeito, os treinamentos devem ser frequentes e a supervisão do trabalho deve ser constante e, como dissemos, o foco deve estar na segurança, higiene e satisfação do cliente.

Por isso, para garantir a qualidade dos serviços e do atendimento, escolha a empresa certa para administrar seu restaurante corporativo, priorizando aquelas que ofereçam respostas rápidas com projetos abrangentes e boas referências no mercado.

Fonte: http://blog.exal.com.br/quais-os-treinamentos-fundamentais-dos-colaboradores-em-restaurante/

curso restaurante

11 nomes errados de pratos que você vê por aí

Postado em Atualizado em

Café “expresso”, massa “fettuttine”, ovo “pochê”. Será que eles são escritos desta forma? Confira esta seleção e acerte sempre na grafia (e no sabor)

16032015

Quem nunca comeu “fettuttine” levante a mão. E “lazanha”? Com certeza você já deve ter reparado: em alguns restaurantes é mais fácil encontrar pratos escritos de forma incorreta no cardápio do que lugar para sentar. Até mesmo os cozinheiros amadores dão aquela escorregada na hora de divulgar o menu que prepararam nas redes sociais, por exemplo.

E ninguém escapa: até nós, nas redações, sofremos com nomes exóticos, estrangeiros ou pouco comuns.

Mas, para tirar qualquer dúvida, selecionamos alguns nomes errados que são comuns de ver nos menus por aí. Afinal, isso também é cultura gastronômica.

Espresso vs Expresso

Diferentemente do café filtrado que demora para pingar, o italianíssimo café espresso fica pronto muito mais rápido. Será por isso que por aqui é chamado de “expresso”? Diferenças na grafia italiana e portuguesa se encontram também em outros itens da culinária. Então, se você for para Itália pedir um café com leite, anote o nome certo: caffelatte. Se você gosta de um café espresso com pouco leite vaporizado, escolha o macchiato. Se você preferir um café encorpado e com sabor intenso, então vá de ristretto.

Affogatto, afogatto ou afogato?

Por incrível que pareça, nenhuma das três versões acima. O correto em italiano é affogato, que significa “afogado”. Mas vamos concordar, essa delícia de sorvete “afogada” no café espresso tem um nome complicado mesmo. Fácil é degustá-la.

Fettuccine e lasagna

Sem querer decepcionar ninguém, “fettuttine” não existe. O correto na língua de Dante é fettuccine, assim como lasagna. A versão que se encontra nos dicionários portugueses, porém, é lasanha. Já “lazanha” não só está errado, mas também não é nada bonito. Para falar verdade, assim como no caso dos cafés, praticamente todos os formatos de macarrão (que na Itália é chamado de pasta) sofrem distorções. Da próxima vez que for ao restaurante peça spaghetti (ou espaguete, em portugês), penne, fusilli, cannelloni, pappardelle ou tagliatelle. Sem se embananar com as duplas.

Muçarela ou mussarela?

Do ponto de vista ortográfico, o correto é muçarela, que é a versão aportuguesada da palavra italiana mozzarella (em português o som “ZZ” é traduzido com “Ç”). Aliás, muitas publicações optaram, por muito tempo, por usar a versão com dois “S” — inclusive aceita por manuais de redação. Mas, do ponto de vista gastronômico, vamos perdoar você se usar “mussarela” só no caso de o produto ser de ótima qualidade.

Croûton

Quer se chique na hora de comer sopa, caldo ou fondue? Chame os cubinhos de pão torrado de croûton. E sobretudo confira se no cardápio o acento circunflexo está no lugar certo.

Entrecôte

Mesmo que o “E” no final não seja pronunciado, o equivalente a contrafilé, em francês, é entrecôte.

Panini e ciabatta

Na Itália, a palavra “panini” identifica um pão genérico com recheio. Ela está no plural. Porém, no Brasil, costuma-se utilizá-la tanto no singular quanto no plural: um panini, dois panini, etc. O que está errado. O correto para o singular seria “panino”. Já o pão ciabatta, na versão original, encontra-se muitas vezes grafado erroneamente “chiabatta” (com “H”), para reproduzir a pronúncia original da palavra em italiano. Mas de tudo isso, o que realmente importa é escolher o recheio certo na hora de fazer um panino. Ou dois panini.

Crème brûlée

Vamos combinar, é muito acento para apenas duas palavras. Mesmo assim essa sobremesa à base de leite, gemas e açúcar queimado, de origem francesa – na verdade espanhóis e ingleses reivindicam a criação – é néctar para o paladar.

Ovo poché

Você já deve ter visto escrito esse termo com acento circunflexo no “E”, mas o correto é “poché”. Lembre-se na hora de pedir esse ovo cozido sem casca e com gema mole.

Fonte: Bom GOurmet

planejamento_cardapios