coifa

CONHEÇA O MELHOR JEITO DE LIMPAR COIFA DE RESTAURANTES

Postado em

A limpeza das coifas é uma das tarefas mais difíceis e temidas pelos responsáveis dos restaurantes. Percebendo isso nas visitas dos nossos consultores técnicos aos clientes, fizemos este post para desmistificar um pouco.

Acreditamos que usando o produto certo, a técnica ideal e o equipamento correto, esta tarefa fica menos árdua. Claro que também, deve-se ter atenção com a frequência de limpeza e cuidado com o uso dos EPIs necessários.

Como limpar coifa de restaurante

A fritura e cozimento de alimentos gera a evaporação de partículas que se acumulam nas coifas. Estas partículas são formadas por vapor d´água e óleos e gorduras utilizados na fritura, que se acumulam nas superfícies das coifas, oxidam e se tornam difíceis de serem removidas. A limpeza rotineira evita o acúmulo desta gordura, mas quando o acúmulo é excessivo, é necessária uma limpeza profunda.

Produto ideal para limpeza da coifa:

Desincrustante é o produto ideal para a limpeza profunda de coifas impregnadas com gordura oxidada.

Método:

Diluir Desincrost na proporção de 20% (1:4), pulverizar sobre a superfície morna, e esfregar com fibra de limpeza. Enxaguar e enxugar com pano úmido para retirar o excesso de sujidade.

Equipamentos:

Pulverizador, de preferência com lança, para aplicar a distância e fibra de limpeza pesada.

Frequência:

Mensalmente ou quando for verificado visualmente impregnações de gordura na coifa.

EPI indicado:

Luvas até o cotovelo, óculos de proteção, avental de PVC e protetor facial.

Fonte: http://girassolquimica.com.br/wordpress/conheca-o-melhor-jeito-de-limpar-coifa-de-restaurantes/

Anúncios

Quais os Melhores Sistemas de Exaustão para Cozinhas Industriais?

Postado em

A ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas estabelece, através da NBR 14518, como devem ser os sistemas de exaustão para cozinhas industriais. Ao precisar implantar um sistema desse tipo, portanto, é necessário encontrar uma empresa especializada, que possa desenvolver o sistema dentro das normas e, além disso, oferecer toda a assistência técnica, seguindo as orientações do projeto e oferecendo o controle ambiental e a segurança necessária para a cozinha industrial e seus trabalhadores.

curso restaurante

Os sistemas de exaustão para cozinhas industriais devem atender a todos os princípios e normas regulamentadoras, uma vez que se trata de um ambiente gerador de poluentes, além de ser uma área de riscos iminentes, principalmente de incêndio, que deve ser mantido sob controle, com a utilização de equipamentos específicos.

O ar da cozinha industrial deve ser reciclado, mantendo o conforto das pessoas que ali trabalham, oferecendo também o conforto necessário, no caso de a cozinha industrial ser diretamente ligada ao restaurante, o que exige que os sistemas de exaustão para cozinhas industriais não deixem chegar os odores aos locais interligados, oferecendo um ambiente em condições de uso e de higiene.

Como funcionam os sistemas de exaustão para cozinhas industriais

Os sistemas de exaustão para cozinhas industriais devem fazer a remoção e o tratamento de vapores e gases provenientes do processo de cocção dos alimentos, livrando o ambiente da fumaça e dos odores, proporcionando renovação constante de ar e mantendo a temperatura da cozinha dentro de limites de conforto térmico.

Dessa forma, o projeto de sistemas de exaustão para cozinhas industriais deve ser composto de equipamentos que possam captar, tratar e conduzir os vapores e gases da cozinha para o ambiente externo, enviando-os para a atmosfera depois de tratados, possuindo ainda um sistema de insuflamento do ar externo para o interior, repondo o ar eliminado pelo sistema de exaustão.

O projeto dos sistemas de exaustão para cozinhas industriais devem levar em consideração a necessidade de insuflar o ar no ambiente em volume menor do que o eliminado, mantendo sempre o ambiente da cozinha com pressão negativa, o que irá forçar o ar a entrar no ambiente, evitando, desta maneira, a dispersão dos odores dentro da cozinha e em suas áreas adjacentes.

Equipamentos dos sistemas de exaustão para cozinhas industriais

Os sistemas de exaustão para cozinhas industriais utilizam-se dos seguintes equipamentos:

  • Coifa, ou captor, onde têm início os sistemas de exaustão para cozinhas industriais, sendo instalado sobre os equipamentos de cocção, sugando o ar de toda a área. As coifas podem ser central, ou de ilha, utilizada em áreas onde a cocção é feita no centro da cozinha; coifa de parede, em áreas que exigem essa localização; coifas de aspiração frontal, específica para equipamentos que geram maior quantidade de gordura; coifa wahs-pull, com sistema de lavagens incorporado; ou coifa push-pull, com sistema de insuflamento de ar incorporado, gerando uma cortina de ar em suas extremidades;
  • Rede de dutos para condução dos gases e vapores, que devem ser fabricados em chapas de aço carbono, aço inoxidável ou, em determinados casos, em aço galvanizado;
  • Dumper de regulagem de vazão, instalado para equalização e ajustes de vazão de ar;
  • Dumper corta-fogo, aplicado para prevenir incêndios nos sistemas de exaustão de cozinhas industriais;
  • Exaustor, que é usado para gerar a energia e movimentar o ar, sendo apresentados em dois modelos: o exaustor centrífugo, tipo caracol, que apresenta nível de ruído mais baixo, possui vida longa maior e é de fácil manutenção; e exaustor axial, de carcaça tubular, que deve ser usado com restrições, em sistemas de exaustão e cozinhas industriais mais simples, já que não possui pressão suficiente para eliminar o ar de ambientes maiores. O sistema axial apresenta maior ruído e é de difícil manutenção, não sendo indicado para sistemas de exaustão de gorduras.
  • Caixa de ventilação, usada para insuflamento de ar nos sistemas de exaustão para cozinhas industriais;
  • Equipamentos de tratamento de ar, que fazem o tratamento dos gases, fuligens e vapores antes de descarrega-los na atmosfera;
  • Despoluidores atmosféricos e extratores de gordura, fazendo a retenção e tratamento dos vapores e fuligens antes de dispersá-los na atmosfera. O mais usados são os lavadores, o precipitador eletrostático e os filtros de carvão ativado, que devem ser escolhidos no projeto de sistemas de exaustão para cozinhas industriais de acordo com a necessidade de produção.
  • Terminais de descarga, usados para descarga e dissipação dos gases e protegendo contra a entrada de água no sistema;
  • Grelhas e venezianas, aplicadas para insuflamento, exaustão e descarga de ar;
  • Quadro elétrico, que centraliza o comando e proteção dos motores elétricos do sistema;
  • Sistema de extinção de incêndio, geralmente usados em estabelecimentos maiores, como hotéis, shoppings, centros comerciais, onde existe muita movimentação de pessoas e onde se pratica economia múltipla

É importante ter em vista, nos projetos de sistemas de exaustão para cozinhas industriais, que o tamanho dos equipamentos seja respeitado, definidos de acordo com a vazão do sistema, já que a utilização de equipamentos abaixo da capacidade dirá reduzir a eficiência do sistema como um todo.

fonte:https://www.ohub.com.br/

A Limpeza da sua cozinha industrial merece mais do que água e sabão.

Postado em Atualizado em

kitchenA cozinha de um restaurante ou hotel é um local agredido diariamente por sujidades vindas de todos os lados. São vapores, gorduras e poeiras impregnando coifas, paredes, pisos e bancadas durante horas. As coifas já perderam seu brilho para o tom amarelo de gordura, os pisos e paredes já não possuem cores definidas. É no momento da faxina que podemos constatar o quanto estas sujidades são agressivas, este procedimento em geral parece mais uma concentração para entrar no campo de batalha. De detergentes e buchas à luvas de limpeza, tudo parece fácil, até que…. A gordura não sai, a cerâmica não desencarde. E agora? É nesta hora que muitos apelam para produtos altamente tóxicos ou abrasivos, com o intuito de facilitar o trabalho e deixar tudo mais limpo. Mera ilusão. Estes produtos tóxicos e corrosivos agridem não só a superfície de sua cozinha causando danos irreversíveis, bem como também a sua pele, olhos e pulmões.

Se, água e sabão não limpam e os produtos que podem limpar são tóxicos e abrasivos, há alguma notícia boa para sua cozinha? Claro que sim, foi em busca de soluções alternativas e eficientes que a GR (Gestão de Restaurantes) se surpreendeu ao encontrar soluções inovadoras e eficientes para este problema.

Um das fontes pesquisadas foi a empresa LIMTER Serviços, que nos esclareceu muito sobre novos produtos e tecnologias na limpeza de cozinhas industriais. Você acreditaria ser possível deixar a sua cozinha totalmente livre de gordura e poeira sem a utilização de água? Pois acredite, isto é possível. A Limter, por exemplo, possui um produto chamado Ceiling PRO, utilizado na revitalização de superfícies como: coifas, equipamentos de aço inox, estruturas metálicas, partes externas de tubulações de ar, tetos, paredes, azulejos e cerâmica.

Além de não utilizar água e sabão, o produto é ecologicamente correto, não agredindo as superfícies e nem o meio ambiente. De acordo com a LIMTER, que utiliza o CEILING PRO, a durabilidade da limpeza feita com este produto dura até duas vezes mais do que com método convencional. Outro fator importante é que não é necessário deslocar ninguém da equipe do estabelecimento para fazer a limpeza, pois profissionais especializados e treinados são enviados para o local.

O investimento para este tipo de serviço apresenta um bom custo-benefício, uma vez que há economia com mão de obra, produtos, tempo entre as limpezas e evita acidentes de trabalho.

Conheça uma solução inovadora.

 

imageRua Luís Góis, 1684 São Paulo
Fone : (11) 5583.2707 – 11 5584-2777 – 11 2574.5173
www.limter.com.br

banner_ficha_tecnica

Limpeza de Coifas evitam acidentes em restaurantes

Postado em Atualizado em

image As coifas e os dutos de exaustão em cozinhas industriais devem receber uma limpeza periódica a fim de se evitar o acúmulo de gordura em seu interior.

O acúmulo de gordura pode causar vários transtornos que vão desde a contaminação de alimentos a explosões. Coifas com excesso de gordura podem gotejar a gordura de volta para a área de cocção contaminando alimentos. Outro risco oferecido pela má manutenção das coifas é o acúmulo de gordura e gases em seu interior podendo causar explosões e incêndios.

É necessário que a coifa e seus dutos recebam limpezas periódicas aplicando-se produtos removedores de gordura. Após a aplicação dos removedores deve-se fazer a raspagem interna eliminando todo o excesso de gordura. Em casos mais extremos há a necessidade da desmontagem de algumas partes do duto para uma limpeza mas eficiente.

É recomendado que a limpeza das coifas e dutos sejam feitas a cada 3 meses. É importante também a utilização de equipamentos de proteção individual para as pessoas encarregadas pela limpeza como luvas, óculos e máscaras de proteção. Como os produtos utilizados para tal tarefa são extremamente fortes e intoxicantes tais equipamentos são indispensáveis para se evitar a queima das mãos, contato com os olhos e a inalação dos gases produzidos durante a limpeza.

Há no mercado empresas especializadas na limpeza destes equipamentos. A vantagem na contratação destas empresas está na segurança, eficiência e agilidade,

Fonte: www.gestaoderestaurantes.com.br

 

banners_cozinha_industrial

Minha cozinha pegou fogo !

Postado em Atualizado em

Texto: Márcio Soares

image Olá amigos leitores, boa tarde.

Fico impressionado com o número crescente de incêndios em cozinhas. Se buscarmos no noticiário teremos vários relatos no último ano, mas basta observarmos lanchonetes, restaurantes comerciais  e  industriais que as pistas de um incêndio ocorrido logo aparecem. O mais comum é o fogo que começa na área de cocção ou fritura, mais exatamente na coifa ou tubulação de exaustão dos vapores e fumaça gerados em cozinhas.

Como AINDA operamos utilizando fritadeiras excessivamente, assim como churrasqueiras e chapas, temos uma produção de gordura vaporizada em quantidade as vezes insuportável, pelo sistema de exaustão e pelos próprios trabalhadores da cozinha em questão.

Esta gordura caminha pelos dutos, resfria e se solidifica em suas paredes. Com o passar do tempo forma-se uma camada de gordura que já vi chegar a 1 cm.!!!

Então um belo dia – principalmente no verão – toda esta gordura que está se liquefazendo com a alta temperatura recebe a visita de uma fagulha e ai … Só resta chamar os bombeiros e rezar para sobrar algo.

Tive e oportunidade de presenciar o início de um incêndio a uns 8 anos atrás, que ocorreu em uma churrascaria, com telhado todo em sape. O foco do incêndio foi exatamente o duto da chaminé de exaustão, que ficou tomada pelo fogo e este passou para o sape. Era um domingo, por volta das 13h e em janeiro.

Os sistemas de exaustão devem ser planejados por especialistas, pois seu subdimensionamento acarreta diversos problemas. Devem ser limpos e vistoriados a cada 90 dias, dependendo do ritmo e tipo de produção da cozinha.

O melhor mesmo seria evitar frituras em fritadeiras, ao máximo, vide posts de março de 2009.
A utilização de tecnologias modernas nos equipamentos de cocção nos livram deste mal e outros também, como os que prejudicam a saúde.
Um abraço a a todos.

banners_cozinha_industrial