delivery

Vale a pena investir em plataformas de pedidos on-line para meu restaurante?

Postado em

Nesta vídeo-aula você será capaz de identificar se é viável investir em plataformas de pedidos on-line para seu restaurante, além de conhecer as principais plataformas, as taxas cobradas e os prós e contras de utilizar estas plataformas para vender comida on-line. Você não pode perder.

Fonte: http://www.gestaoderestaurantes.com.br

curso restaurante

 

Anúncios

Restaurante aproveita engarrafamentos para vender pizzas no trânsito

Postado em

O trânsito caótico pode ser bem estressante no dia a dia. Porém, já pensou em comer uma pizza enquanto aguarda? Ou até mesmo levá-la para comer em casa? Uma pizzaria em Recife (PE) teve essa ideia e está com um alto faturamento. Os motoristas compraram a ideia.

curso restaurante

De acordo com uma pesquisa de um instituto especialista em trânsito, Recife tem o 3º pior índice de engarrafamentos do Brasil. O restaurante Skillus Classic, famoso por suas pizzas na cidade, agora vende seu principal produto perto de um sinal em frente ao estabelecimento, onde o trânsito é intenso.

A ideia veio do dono do restaurante, que percebeu que os clientes estavam sempre com pressa e muitos não tinham tempo nem de ao menos descer do carro para comprar a pizza. Com isso, a pizza agora vai até o cliente. Um garçom com uma placa e máquina de cartão anda entre os carros e oferece o serviço.

Os consumidores gostaram. “Já provei e aprovei! Estava quentinha e o vendedor foi super atencioso e gentil”, comenta a assistente administrativa Vanessa Dutra. “Sou graduado em marketing e acho a ideia inteligente e inovadora. Parabéns”, diz o analista de produção Josivaldo Ramos.

O produto demora aproximadamente três minutos para ficar pronto, já que o local possui pizzaiolos de plantão somente para essa finalidade. Os sabores por enquanto são de muçarela (R$ 15) e calabresa (R$ 20). O valor pode ser pago em dinheiro ou no cartão.

O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 16h às 19h. A ideia já é um sucesso e aprovada pelos clientes. Por dia, o estabelecimento chega a vender 110 pizzas no trânsito.

Fonte: http://bhaz.com.br/2017/06/30/restaurante-pizzas-no-transito/

Menos pode ser mais

Postado em

Uma grande tendência chegou a São Paulo: os hambúrgueres carimbados. Vários estabelecimentos de fast-food têm aderido a esse estilo, levando diversos clientes a consumirem esses produtos.

A proposta das hamburguerias se baseia no modelo de negócio fast casual: com cardápios enxutos, sem serviços de mesa e mais despojado. No lugar do garfo e da faca, o hambúrguer é consumido com as mãos. Em vez de garçons, o cliente ganha mais liberdade dentro do estabelecimento para fazer o seu pedido.

22112016b

Bullguer

O Bullguer é uma das hamburguerias mais conhecidas por esse tipo de abordagem em São Paulo, sendo uma das precursoras desse estilo no Brasil. Fundado em 2015, em Vila Nova Conceição, o estabelecimento ganhou uma nova loja, na Vila Madalena. De lá para cá, foram mais de 100 mil hambúrgueres vendidos, com filas cada vez maiores. O motivo? Um estilo diferenciado de fazer os pratos e atender os clientes.
A hamburgueria se posiciona contra a onda gourmet. Saem de cena talheres requintados, por exemplo, dando vez para um hambúrguer caprichado, cardápio menor e o sabor das receitas. As próprias receitas têm poucos ingredientes e atraem pela simplicidade oferecida.
Um dos grandes diferenciais é o carimbo feito no pão de hambúrguer, com a logomarca da Bullguer. Questionada sobre essa diferenciação, a empresa contou que o carimbo deixa os hambúrgueres mais personalizados. “A ideia de carimbá-los é para dar uma identidade aos nossos lanches e deixá-los 100% com a nossa personalidade. Além disso, o carimbo traz um sabor defumado ao pão, que faz bastante diferença no resultado final”, afirma Thiago Koch, chef de cozinha do Bullguer.
De acordo com Koch, o carimbo também tem uma relação direta com os consumidores. Ao se depararem com a marca, as pessoas se aproximam mais da Bullguer e reconhecem o prato como algo pertencente daquele lugar. Esse detalhe pode ser essencial para a escolha dos clientes.

banner_restaurante_de_sucesso
Como inspiração, a hamburgueria cita a Shake Shack, uma casa de lanches que aposta em bons ingredientes para se desenvolver no mercado, localizada nos Estados Unidos. “Como eles, temos a proposta de fazer lanches básicos, sem frescura e do tamanho ideal da fome. Também temos o desejo de expandir e abrir uma série de casas na cidade, como eles fizeram”, pontua o chef.
Os hambúrgueres carimbados têm ganhado adeptos em vários estabelecimentos. Segundo Koch, a ideia da marca nunca foi ir contra tendências, mas à forma de fazer lanches sofisticados demais. “Nós não gostamos especificamente da tendência de hamburguerias gourmets, que usam ingredientes de receitas de alta gastronomia em sanduíches para serem consumidos no dia a dia. Nossa proposta é ser bom, básico e barato. Para nós, o bom hambúrguer é aquele feito para ser comido com as mãos e matar a fome”, diz.
A marca aposta em pratos-chaves e com ingredientes básicos para ampliar a experiência gastronômica de quem passa pelo estabelecimento. Além dos hambúrgueres, são oferecidos dois tipos de sobremesa e um tipo de batata frita. A batata é temperada com páprica e o cliente pode degustar com a maionese feita pela casa.
A aposta no básico também se aplica na forma de apresentar os produtos aos clientes, sem tantos ajustes. “As sobremesas, assim como os lanches, são básicas, sem ingredientes gourmets. Valorizamos muito os sabores, sem pensar em frescuras de apresentação”, frisa Koch.
O cardápio aposta em oito opções de hambúrgueres, com carnes de 100gr, preparados sob uma técnica norte-americana: a smash burger, comum nos Estados Unidos. O tipo de carne utilizada é a black angus, grelhada em uma chapa moldada como uma bola.
A forma de produzir os hambúrgueres carrega um estilo mais alternativo, apostando na simplicidade para criar receitas. “Gostamos do básico, daquele sanduíche que leva um hambúrguer feito com um bom blend de carnes, queijo, salada e um ou outro complemento. Criamos nossas receitas novas a partir disso. O Sheik Cheddar, um dos lanches temporários do menu, que aparece apenas de vez em quando, leva, por exemplo, hambúrguer de 100g, cheddar, bacon e cebola caramelizada. É uma receita simples que valoriza os sabores de cada ingrediente”, finaliza o chef.
A Bullguer aposta na rapidez e em embalagens descartáveis para entregar seus hambúrgueres, com preço médio entre R$ 16 e R$ 22. A ideia do negócio surgiu da sociedade entre Alberto Abbondanza e Ricardo Santini, com Thiago Koch como chef, responsável pela elaboração dos pratos.

Shake Shack

O Shake Shack, inspiração para o Bullguer e para algumas das novas hamburguerias, tem modelo de negócio baseado no fast casual, com a proposta de levar pratos bem temperados e saborosos aos clientes, aliados ao bem-estar das pessoas, tudo isso de forma prática.
A marca possui hambúrgueres, cachorro-quente, cerveja, vinho, entre outros produtos. Fundado em 2014, o Shake Shack logo se expandiu para outros territórios nos Estados Unidos e internacionalmente, na Rússia, Japão, Coreia do Sul, Turquia, Emirados Árabes e Inglaterra. O crescimento da empresa serviu de inspiração para outras hamburguerias ao redor do mundo, principalmente por esse modelo diferenciado de atrair clientes.
Uma pesquisa realizada pelo site Market Realist, com as informações de oito restaurantes de fast casual, mostrou crescimento médio de 75% da Shake Shack. O levantamento também indicou o maior crescimento em vendas nas mesmas lojas no trimestre, em comparação às outras empresas. Questionada sobre esses números, a Shake Shack alegou que a alta é devido aos produtos inovadores oferecidos pela marca.
O crescimento do fast casual apresenta bons números, com aumento de 550% desde 1999, nos Estados Unidos. O Euromonitor também mostrou informações sobre esse segmento, com consumo norte-americano de US$ 21 bilhões em 2014.

Carimbo

A estratégia de utilizar carimbos para identificar seu sanduíche tem se espalhado pela cidade de São Paulo. Exemplo disso é o Raw Burger, inaugurado em novembro de 2015, em Vila Madalena, e o Dock Burger, no Tatuapé. Os estabelecimentos também usam a logomarca estampada no pão e afirmam ser uma ótima forma de propaganda, já que as redes sociais possuem, cada vez mais, fotos de comida.
De acordo com o site Sp Curiosos, a Lanchonete da Cidade também aderiu ao uso de carimbos, marcando apenas os hambúrgueres clássicos da marca. Camila Prado, gerente de marca, contou que o uso de carimbos deixa os pratos mais bonitos e charmosos.
A Stunt marcou um hambúrguer em comemoração ao primeiro aniversário da casa. Com uma receita intitulada de “Anniversary”, a hamburgueria colocou à disposição dos clientes, em março deste ano, uma receita diferenciada, com carimbo identificador.

Fonte: http://www.foodservicenews.com.br/menos-pode-ser-mais/

banner_restaurante_de_sucesso

 

Aprenda em 7 passos como montar um delivery de sucesso

Postado em Atualizado em

A entrega a domicílio pode ser uma boa estratégia para aumentar as vendas das empresas já estabelecidas ou uma oportunidade de negócio para quem está querendo investir no segmento de alimentação fora do lar. Segundo a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), o mercado de alimentação delivery fechou 2015 com faturamento de R$ 9 bilhões.

23082016B

“O sistema delivery vem ganhando espaço por ser uma opção para conquistar quem busca comodidade e praticidade, atendendo à expectativa dos consumidores de se alimentarem com qualidade, segurança e conforto, no local mais conveniente no momento”, afirma Janaina Moreira Costa, analista do Sebrae-SP. Mas para ter um delivery de sucesso, o empreendedor deve se preparar, tendo sempre como objetivo a melhor experiência de compra, com produtos de qualidade, entrega rápida e excelência no atendimento. Leia as dicas da especialista.

1. Planeje antes de iniciar o negócio, o empreendedor precisa analisar o mercado potencial para identificar oportunidades. É preciso também fazer uma análise do público consumidor, a área de abrangência da entrega e a forma de atuação, ou seja, se os pedidos serão recebidos por telefone, aplicativos ou internet. Analise também quais produtos farão parte do cardápio de entrega, investimentos necessários, previsão de vendas e formas de divulgação, além de seu processo produtivo, entre outros.

2. Garanta a segurança dos alimentos, da produção à entrega. O ramo de alimentação exige muitos cuidados com higiene e qualidade. O empreendedor deve sempre garantir um alimento seguro, além de ter atenção ao acondicionamento, a apresentação e ao transporte, para que o produto mantenha suas características e sabor.

3. Insista em um bom atendimento. Processo crítico no delivery tem de ser bom e rápido. Deve-se informar o cardápio, preços, condições de pagamento, prazo de entrega etc. O cadastro de clientes é fundamental. No primeiro contato, deve-se registrar dados como nome, endereço e telefone. Assim, será possível identificá-lo rapidamente na próxima compra.

4. Acompanhe constantemente o processo produtivo. O empreendedor deve buscar qualidade e economia, além de eÖciência na produção para prevenir perdas, desperdícios e garantir a entrega rápida.

5. Entregue de maneira ágil, eficiente e higiênico, para que o alimento chegue com suas características preservadas. Essa etapa está diretamente ligada à satisfação do cliente e o empreendedor pode optar por terceirizar ou contratar equipe própria de entrega. Para isso, deve-se analisar custos, legislações e identificar o modelo que melhor atende a sua necessidade.

6. Um dos grandes desafios é se destacar no mercado com tantas ofertas de varejo delivery. Para isso, é preciso comunicação efetiva com o público-alvo, o que inclui desde ações de divulgação tracionais, redes sociais, até aplicativos específicos para o segmento.

7. Use mídias sociais como Facebook e Instagram. O sistema delivery ganha espaço por ser uma opção para quem busca comodidade e praticidade. Os consumidores querem se alimentarem com qualidade, segurança e conforto, no local mais conveniente no momento. Para conseguir sucesso no concorrido segmento, é preciso antes encarar desafios

Fonte: http://fispalfoodservice.com.br/blog/aprenda-em-7-passos-como-montar-um-delivery-de-sucesso/

banner_marmitex

Delivery para Restaurantes

Postado em Atualizado em

Se realizada de forma eficiente, entrega em domicílio pode ser uma boa estratégia para aumentar as vendas.

Estabelecimentos do ramo de alimentação podem investir no sistema delivery, uma vez que muitos clientes optam pela entrega em domicílio. Comum para lanchonetes e pizzarias, a alternativa vem ganhando espaço no ramo de refeições mais elaboradas. Também existem negócios focados somente no delivery, sem portas abertas para a rua.
Mesmo sendo uma excelente opção para conquistar o consumidor, que muitas vezes escolhe o delivery como uma forma fácil para fazer uma refeição, o empreendedor deve oferecer um serviço de qualidade, com base na agilidade e bom atendimento. Caso contrário, pode ver seu modelo de entregas em domicílio fracassar.

12112015A

Entrega sem atrasos

O delivery deve ser eficiente, para que a comida não chegue fria ao cliente. Além de quentes, os alimentos devem ter boa aparência. No transporte, a comida pode se misturar, por isso é necessário fazer testes de embalagens. Use recipientes (que podem ser de plástico, isopor ou mesmo alumínio) resistentes e os coloque dentro de outra embalagem, feita de papelão. Esses cuidados devem minimizar impactos que porventura ocorram durante o transporte.

Entregadores eficientes

Essa etapa influi diretamente na satisfação do cliente. Estabeleça um tempo para fazer a entrega. O empresário pode terceirizar o serviço, ou pode contratar sua própria equipe de entrega. Porém, é só com a experiência que o empreendedor pode identificar o modelo que melhor o atende.

Cadastro de clientes

O cadastro é um mecanismo fundamental para agilizar o atendimento. No primeiro contato do cliente, o atendente deve registrar no computador dados como nome, endereço e telefone de contato. Com esse cadastro, será possível identificá-lo rapidamente na próxima compra.

Taxa de entrega

É melhor definir a região a ser atendida do que atender toda a cidade e cobrar uma alta taxa para entrega. Para um pequeno negócio, o ideal é começar atendendo bairros próximos e de fácil acesso. O cliente precisa saber que a entrega é um serviço que não faz parte do preço da refeição e, por isso, é fundamental que o atendente informe o valor da taxa no momento do pedido.

Fonte: http://www.sebrae.com.br/

planejamento_cardapios

Restaurantes driblam a crise adotando sistemas de delivery

Postado em Atualizado em

O momento delicado pelo qual passa o nosso país, com o aumento da energia elétrica, água, transportes e outros custos básicos da nossa economia reflete diretamente no bolso do consumidor. Quem trabalha com alimentação fora lar como restaurantes, bares e similares também já notou a mudança no volume de vendas. O orçamento do consumidor já não permite tantos restaurantes como antes e mesmo quando decidem visitá-los agora estão mais seletivos em suas escolhas.

16072015

Há quem não abra mão de uma boa comida do seu restaurante preferido, mas o gasto com bebidas, taxas de serviços e aquela estendida até mais tarde, pois o papo com os amigos está muito bom, pode extrapolar o seu orçamento e o cliente acaba pensando duas vezes antes de sair de casa.

Foi pensando nisto que diversos restaurantes estão adotando o modelo de delivery como forma de manter seus clientes sempre por perto e ainda garantir o aumento do faturamento. Mas o modelo de delivery já existe a anos, o que o torna eficiente atualmente é a tecnologia atuando como aliada a este modelo.

Web Sites e aplicativos de delivery para restaurantes vem revolucionando este mercado, oferecendo comodidade ao cliente e eficiência para os restaurantes. Lucas Marcomini, coordenador de Marketing da Neemo, empresa fabricante de sistemas de delivery para restaurantes nos explica melhor a funcionalidade e os benefícios que este modelo pode trazer tanto para o cliente quanto para os estabelecimentos.

16072015i.png

“O sistema de delivery é uma ferramenta com funcionalidades muito atraentes, possibilita recebimento de pedidos via website e aplicativo exclusivos do estabelecimento sem cobrança de taxas por pedido, por isso a sua grande aceitação no mercado. O cardápio também pode ser incorporado a um site já existente e até mesmo utilizado como website do restaurante, apresentando detalhes como fotos, descrição detalhada do prato, variações, horário de funcionamento, localização e etc.

O restaurante recebe os pedidos em seu computador com notificações e diversos recursos de gerenciamento e o cliente também acompanha o andamento do seu pedido com o recebimento de notificações via e-mail. O principal benefício é o de explorar um mercado que está em expansão. O aplicativo de delivery tende a aproximar e fidelizar o cliente com o estabelecimento, pois o restaurante pode enviar mensagens promocionais para seus clientes e dispará-las no momento mais oportuno em dias e horários de pouco movimento.” Afirma Lucas.

Podemos observar que o delivery está se modernizando e se adaptando ao cotidiano cosmopolita, trazendo a praticidade na palma da mão, gerando novas oportunidades de negócios para restaurantes que até então não imaginavam explorar este mercado.

Colaboração:
16072015BNEEMO – DESENVOLVIMENTO MOBILE SOB MEDIDA 
Site: http://www.neemo.com.br
E-mail: comercial@neemo.com.br
Tel: (014) 3274-2087

 

banner_marmitex

A tentação do delivery

Postado em Atualizado em

Conceito operacional trazido profissionalmente para o Brasil na década de 80, o serviço de entrega em domicílio ou Delivery, como é conhecido, hoje está presente em parte significativa dos estabelecimentos de alimentação do país, nas mais diversas formas.

25062015

No entanto, o que para muitos pode parecer simples e natural, como entregar na casa dos clientes o que o restaurante já produz, na realidade é uma operação cara, trabalhosa e de difícil manutenção.

Considerando o fato de que o cliente do Delivery procura por conveniência, rapidez, qualidade e boa relação custo benefício, nesta ordem, é preciso o tempo todo: estar acessível, ser eficiente e rápido na operação e oferecer produto de qualidade por um preço que seja visto como justo.

Quando falo em manter-se acessível, me refiro a divulgar o estabelecimento e ter meios para atender os clientes que o procurarem. Quando falo em rapidez, me refiro a ter entregadores, equipamentos e gestão disso de forma adequada à escala pretendida. Quando falo em qualidade, me refiro a ter o produto similar ao que o cliente tem como referência no próprio restaurante e melhor do que o produto dos concorrentes, independentemente do processo de entrega. Quando falo em preço justo, me refiro a ter o melhor preço que o estabelecimento possa praticar sem que seja questionável pela depreciação que o serviço de entrega costuma gerar na experiência do cliente.

Isso tudo é possível e viável desde que se tenha consciência que o Delivery é uma operação que exige conhecimento técnico, Know How e tecnologia para ser efetivamente relevante e valer o investimento de tempo e de recursos financeiros que demanda.

É preciso saber como divulgar em uma época onde o acesso aos clientes por ações que não sejam de mídia estão cada vez mais difíceis e o tempo dos flyers e panfletos está chegando ao fim;

É preciso ter um canal de acesso para os clientes sendo que nos dia de hoje é praticamente obrigatório estar acessível pela internet e pelos aplicativos de telefones celulares;

É preciso ter profissionais específicos e treinados para o atendimento, organização e despacho de pedidos;

É preciso ter produtos próprios para entrega e suas respectivas embalagens;

É preciso ter entregadores e conhecimento das exigências legais e técnicas para prestar o serviço;

É preciso, apesar de todos os pontos mencionados acima e outros, poder praticar um preço competitivo e criar promoções de venda;

Nos últimos 20 anos, tive a oportunidade de acompanhar o mercado delivery de perto e presenciar muitos casos de sucesso e a construção de grandes negócios fundamentados exclusivamente neste segmento. Mas também testemunhei histórias de insucesso de grandes “players” que se aventuraram a entrar no segmento de entrega sem conhecer o negócio e que em decorrência disso o trataram de forma simplista.

Na maior parte das vezes, as diferenças entre os casos de sucesso e os de insucesso foram: a consciência de que o Delivery não é uma operação simples e a procura de conhecimento, aprendizado e soluções sobre a gestão e a operação do negócio.

Fonte: http://www.foodservicenews.com.br

banner_marmitex